Feliz 2011 para todos

Aos amigos do Blog desejo uma Feliz Ano Novo. Nada de afobação. Esqueça qualquer tipo de problema, entregue-se as comemorações e aos inúmeros pedidos que sei que você tem ai guardado por estes anos. Peça, mas peça com muita vontade, porque Deus sempre atende.

No ritmo das redes

Ao mesmo tempo em que tenho acesso ao mundo Wi-Fi, todos ligados via Twitter, Facebbok e outras redes, também tenho contatos com muitas pessoas que parecem ainda viver na idade da pedra lascada, como são os inúmeros pescadores de Bragança.

Conversando com um mestre de pesca, conhecido com “Ritmo”, morador da Vila de Pescadores em Ajuruteu, homem que nasceu na beira de praia e pesca há 45 anos. “Ritmo” conhece tudo de mar e se orgulha de nunca ter “alagado” um barco. Ritmo sabe manusear como ninguém uma rede, navega treze horas, a oito milhas por hora, pra encontrar um pesqueiro. Lá fora onde fica a água azul, ferra o barco e demora cinco dias com sua minúscula tripulação, ao todo são quatro homens.

O barco volta carregado de cioba e outros peixes, mil e duzentas toneladas na urna, Ritmo se orgulha do que faz, vê-se pelo entusiasmo como fala do trabalho. Quando pergunto sobre sua vida, diz, com uma ponta de tristeza que é analfabeto.

O mestre “Ritmo” não acredita que o peixe está acabando, diz ele que os cardumes apenas mudam de lugar, vão mais pra longe, mas tem saudade dos “tempos bons aquele em que pescávamos na beirada, duas redadas e o barco estava cheio, mas o oceano é muito grande e nunca vai acabar o peixe, Deus tá ai mesmo”.

O mestre pescador diz que mesmo sendo analfabeto conhece navegador e sabe manusear qualquer controle remoto. Seu filho pediu um computador, “Ritmo” diz que vai ajuda-lo a comprar. Ficará em terra o tempo de descarregar, providenciar o rancho, gelo e o óleo para voltar ao mar: “tomara que não venha a maré preta”.

Nossa conversa vai solta, “Ritmo” pede uma cerveja, eu peço um refrigerante, no fundo um som um pouco alto toca um cd de reggae, de repente entra a voz de Roberto Pinheiro anunciando uma pedra e um show lá de Belém, tudo gravado. Me despeço e volto para Bragança pensando o quanto ainda falta de políticas públicas para o homem e o meio ambiente.

As redes e os “Ritmos” precisam conversar. O Pará não pode continuar com tanta desigualdade.

Violência por toda parte

Estou em Bragança para as festas de final de ano e, por onde passo, escuto casos de violências. São assaltos e mais assaltos. Roubaram a casa de fulano, assaltaram a loja de sicrano. Ontem, na porta de casa, das dez pessoas que estavam conversando, cinco já haviam sido assaltadas.
A Polícia está prendendo e matando muito, as casas penais, as delegacias e os cemitérios estão abarrotadas de delinquentes, mas parece que diariamente brotam novos marginais, sempre em quantidade e ferocidade maior do que aqueles que foram presos ou mortos pela repressão do Estado.
O novo Secretário de Segurança Pública, Dr. Luis Fernando, a que dou todo o meu apoio, declarou que não é aumentado o efetivo polícial que resolveremos o problema, sabemos disso pela própria realidade, mas então qual é a sacada mágica? Programas sociais? Lula fez muito e não resolveu.
Eu aposto no uso da inteligência polícial, pois sem entedermos o que produz criminosos não venceremos essa batalha.
Com a aplicação de métodos planejados de inteligência policial descobriremos que o tráfico pesado de drogas está encrustado nos bairros de todas as nossas cidades.
Que este tráfico pesado de drogas domina o aparelho policial, que prende apenas aqueles que o tráfico deixa prender. Se a Inteligência Policial resolver olhar para os que estão estão dentro da cadeia verá que a maioria são jovens que já tiveram ou tem algum envolvimento com eles.
A Inteligência Polícial encontrá grupos de extermínio matando sempre pelo mesmo metódo, dois em um moto, aproximam da vítima e pimba, quando os policiais chegam já trazem a setença, acerto de contas e fica por isso mesmo.
A Inteligência Policial verificará que os BO´s são apenas registros eletrônicos e que nem uma investigação decorre deles, salvo se os envolvidos tiverem influência ou recurso financeira para tocar a investigação, como aconteceu no caso dos Novelinos.
A inteligência polícial precisará de equipe multidisciplinar que indique ao Governo, além das ações policias, quais as ações sociais devem ser implementadas para compensar tanta pobreza e tanta miséria gerada por uma econômia brutalmente concentradora de renda existente em nosso país.
Eu acredito que vivemos uma guerra. De um lado os empresários que querem o Estado para ficar a serviço dos seus abusivos lucros e de outro os miseráveis que do Estado tem apenas as severas leis.
O caso da saúde no Brasil é um exemplo disso. A indústrias famacêuticas, as de equipamentos hospitalares, as clinicas de média complexidade e os laboratórios sugam quase todo o dinheiro do SUS, deixando o Estado sem recurso para cuidar da baixa e alta complexidade, onde o povo pobre e sofrido paga todos os seus pecados.
Sei que esse é um assunto muito árido para um final de ano, mas é que eu não aguento ficar calado diante de tanta violência e ver a sociedade civil sendo induzida por meios de comunicação a clamar por mais violência, autoriando tacitamente o uso de métodos abusivos. Chega. Vamos nos rebelar e exigir resultados, afinal somos os maiores pagadores de impostos do Planeta. Aguardo as sugestões de ação.

Celso e Fátima de Rural

O casal Celso e Fátima Botelho, ele diretor geral da Semma e ela ministra da eucaristia da paroquia de Santa Cruz, estiveram em Bragança para as exequias de D. Miguel, aproveitaram para dar um passeio de Rural Wyllis e matar saudades.
Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

Velório de D. Miguel Maria Giambelli

Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

Féretro de D. Miguel Maria Giambelli

Nascido na Italia, em Flero, no do 23/03/1920, depois de dedicar toda sua vida pastoral a Diocese, faleceu em Bragança, no dia 26/12/2010, D. Miguel Maria Giambelli, bispo emérito. O corpo está sendo velado no Ginásio D. Eliseu Maria Corolli, onde participam a população, as organizações religiosa e todo clero. Estão presentes e concelebrarão a Missa de Corpo presente os Bispo D. Luis Ferrando, D. Vicente Zico, D. Carlos Verzeleti...
Após a Missa solene, o cortejo seguirá até a Catedral de Nossa Senhora do Rosário onde o corpo, em fim, descansará.
Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

São Benedito e a acessibilidade

A procissão de São Benedito é para todos.
Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

Festa de São Benedito

A Festa de São Benedito tem um juíz e uma juiza, meu cunhado se inscreveu a 22 anos atras e vai ser o juíz da festa de 2011. Eu ainda nem me inscrevi.
Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

Procissâo de Säo Benedito

Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

Que Santo é aquele que está no andor?

São Benedito acaba de passar na esquina de casa. Multidão de fiéis seguim a propcissão. Deus nos abençoe.
Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

Faleceu D. Miguel Maria Giambelli

Comunico o falecimento do Bispo Emérito de Bragança, d. Miguel Maria Giambelli. D. Miguel sucedeu o Bispo D. Eliseu Corolli.
Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

Política, nem pensar!

Hoje eu não quero saber de política, estou fretado para a Festa de São Bené em Bragança. Primeiro vou ao leilão arrematar umas galinhas caipiras, depois esperarei os amigos para o almoço e um bom bate papo, finalizou com a procissão e uma chegada no baracão para ver as marujas dançarem.

São Benedito de Bragança e a Festa da Marujada

marujada_braganca_tarso_sarraf_0069

Vocês que nunca visitaram Bragança no Pará não sabem o que estão perdendo. Ainda mais nestes dias de dezembro quando acontece a culminância da Festa de São Benedito, a Marujada.

Bragança esta tomada de gente, cheia de sabores e cores. Pessoas da região e de todas as partes chegam para as festas. A culinária é própria, pato no tucupi, maniçoba e peru caipira, tudinho acompanhado da melhor farinha do Brasil e não é exagero não. O Santo é preto e as roupas das marujas, um dia azul e no ouro o vermelho, mas com chapéus de penas cheinhos de fitas de todas as cores.

marujada_braganca_tarso_sarraf_0017

A devoção é demonstrada por missas, ladainhas e procissão, mas que procissão. Promessas são pagas com donativos que são leiloados. No leilão tem de tudo, capão, capado, barrão, novilhas, quadros, pássaros, pitombas, muitas pitombas, que são usadas como arma numa deliciosa guerra, guerra de pitombas, vocês acreditam? Da guerra de pitombas todos participam. Ninguém pode ficar em pé que leva uma pitombada bem no cocuruto.

A festa tem muitos anos, mais de duzentos, e foi criada pelos negros e negras. Mas o senhores também participam, são os juízes e juízas. Tudo, porém, se mistura no barracão quando a rabeca começa a tocar um forte retumbão. Aí vem uma série de mazurcas, chorados e valsas e as marujas e marujos dançando desde amanhã.

Olha gente, vale a pena ir a Bragança, vale a pena!

*Fotos: Tarso Sarraf

Feliz Natal

Tem pessoas que nessa época do ano resolvem pesquisar para saber a origem do Natal. Depois de ler muito, chegam a diversas conclusões, algumas absurdas como: o natal foi inventado pelo capitalismo; outros acham que colocar o Papai Noel nisso desvia o foco da principal figura da festa, Jesus Cristo.
Eu gosto mais daqueles que simplesmente acreditam que o Natal (não importa quem criou ou porque razão criou) é um belo momento para demonstração de que podemos amar uns aos outros assim como amamos a nós mesmos. Simples assim. Pois é com essa simplicidade que o Blog deseja a todos, mas a todos mesmo, um Feliz e Abençoado Natal.
Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

Confraternização do Partido Verde

Confraternização no Partido Verde

Homenagem aos ex-presidentes da IOEPA

Presentes ou representados os ex-presidentes da Imprensa Oficial para cerimônia de inauguração da Galeria que os homenageiam. Walter Guimarães, Joercio Barbalho, Fernando Pinto, Danin, a esposa do Pedro Pinto...
Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

Jatene e a composição do governo

O governador Simão Jatene e a presidenta Dilma estão envolvidos num exercício nada agradável, compor o governo com secretários ou ministros competentes, honestos e que atenda os interesses dos aliados políticos. Vocês pensam que é fácil? Não, não é não!

Dilma está usando o estilo “Jackie o estripador”, indo por parte. Primeiro o seus, depois o PMDB, o PT, PSB e assim por diante. Mas as indicações, do PT, por exemplo, até agora tem desagradado muitas correntes petistas. Dizem que as pessoas do PT indicadas, são burocratas, sem votos, ligadas a um setor da corrente majoritária controlado pelo ex-ministro Zé Dirceu.

Já o governador Simão Jatene usa de cautela, para atender os aliados busca dentro dos grupos pessoas suas e oferece secretarias que não tem autonomia.

O PPS tem três setores, até agora só foi atendido um e mesmo assim com um nome de um ex-auxiliar de Jatene, dr. Hélio Franco. O PPS ainda não está satisfeito por ter recebido a saúde e, de quebra, o DEM, que gosta de tanto de hospitais e ambulatórios, ficou frustrado.

O atual presidente do DEM, deputado Lira Maia entende de agricultura, mas os deputados Márcio Miranda e Haroldo Martins sabem o valor das AIHs. Dar a EMATER e o IASEP vai agrada-los?

E o PMDB? Guardada as sete chaves, a forte aliança que Jatene havia selado com o PMDB para derrotar Ana Júlia, foi revelado com toda sua força, por Jader Barbalho na sua última entrevista ao programa “Argumento” e está se manifestando na composição do governo. Isso frutou os Maioranas que terão, inexoravelmente, que conviver com o líder dos ficha-sujas no mesmo governo.

O PMDB terá direito a indicar no mínimo quatro secretários de peso, a presidência da Assembleia Legislativa e uma gorda cota de publicidade para o império de comunicação, composto por variados e gulosos veículos.

Na segunda-feira, quando Jader abriu o verbo sobre a aliança e a sua antiga relação com Jatene, os estofados tremeram na Avenida Rômulo Maiorana esquina da Perebebuí.

Simão Jatene, com muita habilidade, tentará amenizar a decepção dos Maioranas pescando no PMDB nomes palatáveis. O primeiro nome, Hildegardo Nunes, é uma pescada branca. Mas os jaus ainda serão anunciados, é só espera a lua certa que eles brotam lá do fundo do rio.

Acertado o PMDB, Jatene terá que voltar a conversar e compensar a aliança supra-partidária denominada ORM. Mas o governo tem muito para oferecer, pode ser a volta dos equipamentos da Funtelpa, as cotas de publicidades, o aluguel de aeronaves. Sei que nesse campo o futuro governo terá mais habilidade. Não sei como é que fará O Liberal engolir a parceria com Jader.

Ultrapassado essas grandes barreiras, ainda falta resolver os pedidos do PSDB, seu partido e a miudeza, o varejo, os interesses menores. É tanto trabalho que nem dá tempo de ir as compras de Natal.

Jader está acima do bem e do mal

Um resumo do que vi e ouvi da entrevista de Jader Barbalho ao programa Argumento, apresentado por Mauro Bonna, no canal de propriedade do próprio político.

1. Jader usou os 1,8 milhões de votos com uma medida de aprovação do seu prestigio político junto ao povo;

2. Desdenhou da capacidade julgadora da Magistratura Brasileira.

3. Comparou-se a figuras históricas como Antônio Lemos, Getúlio Vargas e Juscelino, que na sua opinião também foram considerados fichas sujas;

4. Disse que Jatene é uma obra sua; foi seu secretário de planejamento, secretário seu no Mirad e no Ministério da Previdência, razão por que o considera um bom técnico e mantém com ele um bom trânsito;

5. Que o PMDB apoio Ana Júlia, participou do seu governo e quando viu o barco ia afundar entregou os cargos e foi apoiar Jatene;

6. Que pelo apoio decisivo que deu a Jatene merece um bom espaço no seu futuro Governo;

7. Que o PMDB além de secretários quer a presidência da Assembleia Legislativa.

8. Considera Marinor Brito uma senadora biônica, sem votos e sem representatividade;

9. Referindo-se ao Poder Judiciário, disse que não aceita arbítrio cometido por pessoas de toga. 

10. Teve um ato falho do apresentador. Mauro Bonna disse, aproveite as suas câmeras para desejar Feliz Natal.

11. Não tocou uma só vez no nomes dos Maiorana, com havia feito no RD de domingo. Tudo não passou de estratégia de audiência.

José Afonso fará falta na equipe

O governador eleito Simão Jatene deve estar encontrando enorme dificuldade para indicar um substituto a altura o dr. José Augusto Soares Affonso.

O engenheiro era meticuloso, responsável com prazos, com qualidade, tinha uma equipe de trabalho bastante azeitada e conheci como ninguém a malha viária estadual e as empresas que atuavam no setor.

Simão Jatene encontrar outro titular para área, mas sabe que terá que ter paciência até o indicado conquistar a experiência do ex-auxiliar.

Confraternização do TCM

Esse é o coral do TCM em apresentação no dia da confraternização dos servidores. O coral inovou pedindo que a chuva no lugar da neve abençoe os eventos de Natal. A maestrina lembrou a todos que aqui o nosso fenômeno é o da chuva e não da neve.
Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

Drops

Compras, compras e compras, aproveitem bem o Natal. Não vão exagerar.

*****

Ir para uma festa de confraternização de repartição organizada pelo chefe que não é popular é dose. Ainda mais quando ele tira o nome da gente e vem com aquela falsidade toda.

*****

Hoje a noite tem um grande programa, assistir Jader Barbalho no “Argumento”, diz que vai soltar o verbo em cima de quem solta. Será?

*****

A economia do país está tão aquecida que as ruas estão cheias de mangas e ninguém junta e poucos estão apanhando.

*****

O Parlamento por aqui é muito curioso. Primeiro os parlamentares xingam, acusam, denunciam: tal administrador não presta, suas contas estão erradas, houve superfaturamento... Até que o administrador chama para um acordo, atende os seus pedidos e tudo se transforma, sem nada ter mudado. Bacana isso.

O direito a informação total

Quero perguntar aos meus amigos jornalistas se essa história de omitir o nome do estabelecimento comercial, da marca do produto, da concorrência em matéria informativa não compromete a informação?

Dou dois exemplos. Houve uma tentativa de assassinato no Shopping Castanheira e foi noticiado com tentativa de homicídio num shopping da cidade. Até eu localizar-me para não levar minha família ao local que estava tendo tumulto demorou muito. Um outro caso foi a entrevista feita pelo Bom Dia Pará com uma especialista em tecnologia da informática e os softs livres. A moça falava do sistema Linux e do sistema windows, mas não citava os benditos. Fiquei passado.

Esse método é comercial, mas não é jornalístico, não acham? 

Nilson Pinto na educação

Emanuel Matos e Pedrinho Cavallero, autores do primeiro jingle de campanha do deputado federal Nilson Pinto, sabiam que ele seria o futuro secretário de educação e profetizaram:

“O Pará vai ganhar educação

Brasília um federal de competência

Quarenta e cinco noventa

Nilson Pinto com muita consciência.”

Governar sem o povo

As palavras devem se utilizadas para revelar intenções. Concordo com isso. Foi agindo assim que o Dr. Sérgio Leão mostrou, sem meias palavras, a estratégia do governador eleito Simão Jatene para a execução orçamentaria em 2011.

Na sexta-feira (18), em entrevista à competente jornalista Rita Soares, (Blog da Repórter) o chefe da transição foi coerente, transparente e límpido nas intenções:

“A nossa preocupação agora que é de abrir janela porque você pode remanejar quando existe previsão orçamentária numa rubrica para determinada instituição. No Corpo de Bombeiros, a previsão era de zero investimento. Então a gente coloca R$ 100mil para abrir a janela. Se não tiver a rubrica aberta eu terei que pedir um crédito especial para Assembleia Legislativa.” 

Para quem é leigo no assunto, essa questão passa como um detalhe insignificante. Mas não é não.

O Governador é um administrador dos negócios públicos. A Assembleia Legislativa representa o povo, dono dos negócios públicos. O Administrador, para aplicar o dinheiro do povo, deve pedir autorização, dizendo detalhadamente o que vai fazer durante o exercício.

A autorização é dada através de uma lei denominada Lei Orçamentária. A Lei Orçamentária precisa ser elaborado em conformidade com outra lei, a Lei 4.320, que traz em detalhes as regras para previsão de receita e despesa. E não permite a abertura de janelas através de remanejamentos ou créditos antecipados.

Os governantes de direita, de esquerda, de centro, economistas, professores, bancários…, geralmente não gostam de dar satisfação do que fazem para o povo. Querem ter liberdade de executar o orçamento sem a chateação de ficar perguntando: povo eu posso fazer isso? povo eu posso fazer aquilo? Esquecem sempre que o povo é o dono do dinheiro e do poder.

A Lei permite essa tal janela? Eu digo que não. Basta uma lida no artigo 2º  da Lei 4.320 para saber que aprovar remanejamento ou crédito antecipado deixa a peça orçamentária sem a capacidade de evidenciar o programa de trabalho.

Art. 2o A Lei do Orçamento conterá a discriminação da receita e despesa de forma a evidenciar a política econômica financeira e o programa de trabalho do Governo, obedecidos os princípios de unidade, universalidade e anualidade.

Uma boa lida, meus amigos, em outros artigos da mesma lei referentes aos créditos suplementares, leva a conclusão obvia que os créditos suplementares não podem ser concedidos antecipadamente, e que nem é possível abrir janelas, com as tais autorizações antecipadas para remanejar rubricas. Na peça orçamentaria não deve ter nem janela e nem porta escancarada.

Art. 40. São créditos adicionais as autorizações de despesas não computadas ou insuficientemente dotadas na Lei de Orçamento.
Art. 41. Os créditos adicionais classificam-se em:
I - suplementares, os destinados a reforço de dotação orçamentária;
II - especiais, os destinados a despesas para as quais não haja dotação orçamentária específica;
III - extraordinários, os destinados a despesas urgentes e imprevistas, em caso de guerra, comoção intestina ou calamidade pública.
Art. 42. Os créditos suplementares e especiais serão autorizados por lei e abertos por decreto executivo.
Art. 43. “A abertura dos créditos suplementares e especiais depende da existência de recursos disponíveis para ocorrer à despesa e será precedida de exposição justificativa”
§ 1o “Consideram-se recursos para o fim deste artigo, desde que não comprometidos:”
I – “o superávit financeiro apurado em balanço patrimonial do exercício anterior”;
II – “os provenientes de excesso de arrecadação”;
III – “os resultantes de anulação parcial ou total de dotações orçamentárias ou de créditos adicionais, autorizados em lei”;
IV – “o produto de operações de crédito autorizadas, em forma que juridicamente possibilite ao Poder Executivo realizá-las”
§ 2o “Entende -se por superávit financeiro a diferença positiva entre o ativo financeiro e o passivo financeiro, conjugando-se, ainda, os saldos dos créditos adicionais transferidos e as operações de crédito a eles vinculadas”.

Não é crítica, não entenda assim dr. Sérgio Leão, e nem foi o senhor que iniciou essa prática. Ela se disseminou pelas casas legislativas Brasil a fora. Aqui destaco que o dr. Sérgio Leão teve o mérito de usar as palavras para revelar qual é a intenção do próximo governo, o Legislativo é que claudicou.

Os quintais e patrimônio de Belém se vão

A ação das empresas que atuam no mercado imobiliário não encontram barreiras para atuar em Belém. Já havíamos denunciado aqui o sumiço dos quintais e o atentado ao patrimônio histórico. Isso dito por um leigo não tem peso, mais escrito por um especialista do mercado imobiliário aí é outra coisa.

Salomão Mendes, apresentador do Bom Dia Pará e corretor de imóveis, publicou um interessante post no Blog do Imóvel que detalha a estratégia das empresas.

A invasão dos quintais

Explica-se. Aproveita-se a parte conservada para áreas comuns com estilo e usa-se os quintais para a construção da torre. Para isso, é claro, é preciso ter um acesso livre para as garagens.

O modelo foi testado com sucesso Pela Leal Moreira em Nazaré, pela Real, em Batista Campos, pela Marroquim em São Brás e agora deve ser mais uma vez usado pela Urbana, que tem produto similar na Serzedelo.

O foco são casas ao lado do imóvel onde viveu o ex-prefeito Lopo de Castro, hoje agência bancária. A ideia seria aproveitar o acesso do estacionamento da agência que dá justamente nos quintais para chegar as garagens e deixar a frente, com glamour, pelos preservados casarões.

É o mercado dando um jeito para driblar os problemas da overdose de lançamentos que fez os preços dispararem e os terrenos sumirem de Belém. 

Achei tudo muito esclarecedor, só não entendi como é que essas obras são autorizadas pelo DPHAC  em face da lei de tombamento (Lei Estadual no. 5629 de 20/12/1990) que tem regras claras em relação ao entorno do bem tombado. Se alguém souber explicar, por favor, ajude (no dizer do deputado federal Tiririca) o “abestado” aqui.

Art. 29 - Na vizinhança dos imóveis tombados nenhuma construção, obra ou serviço poderá ser executado, nenhum cartaz ou anúncio poderá ser fixado, sem prévia e expressa autorização por escrito do DPHAC ou AMPPPC, aos quais compete verificar se a obra, cartaz ou anúncio pretendidos interferem na estabilidade, ambiência e visibilidade dos referidos imóveis.


Art. 30 - Os bens culturais imóveis tombados terão área de entorno, ambiência ou vizinhança, para proteção da unidade arquitetônica e paisagística, cabendo ao DPHAC ou AMPPPC a definição dessas áreas, inclusive ampliá-las.


Parágrafo Único - Não havendo delimitação pelo Órgão ou Agentes de preservação do Patrimônio
Cultural será considerada área de entorno, ambiência ou vizinhança, e abrangida pelo raio de no mínimo 100m (cem metros), a partir do eixo de cada fachada externa.

Papai Noel e os sapatos

Papai Noel sapatos

A charge do grande Biratan, publicada no Blog GreenCarton, mostra que nem sapato escapa.

Jader abre o verbo

Jader Barbalho

Quem for podre que se quebre que Jader promete soltar o verbo na segunda-feira, no programa Argumentos. Se for na mesma linha do Repórter Diário e do artigo assinado por ele e publicado no Diário do Pará de domingo (19) o alvo principal será a família Maiorana.

Os títulos das notas “Histórias de Dona Déa” e “Mágica e bonecas”  atacam, sem dó nem piedade, a honra dos concorrentes, e dão o tom baixo dos ataques.

No artigo, como é assinado, Jader Barbalho continua a crítica, mas num tom político: “O povo nunca deu autoridade a essa gente, nem quando quis a presidência de um seleto clube social de Belém.”

Não gosto de fofocas, mas não tem quem faça eu perder esse Argumento. Vou comprar pipocas e ficar na sala de olhos e ouvidos abertos.

PV de Marituba filia empresário Fred

O empresário Fred Rettelbusch filia-se ao Partido Verde para construir um alternativa para Marituba.
Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

Prêmio Personalidade da Sustentabilidade de Marituba

Os dois homenageados: Paulo Witor, estudante e campeão da maratona de língua portuguesa e o professor-poeta e vice-prefeito Francisco Mendes. O prêmio é um reconhecimento do PV a luta dessas pessoas pela sustentabilidade do Planeta.
Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

Música e dança tribal no encontro do PV em Marituba

Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

MysteryGuitarMan

Guitar: Impossible

Joe Penna (acho que não é parente do Luís Penna, deputado federal do Partido Verde de São Paulo) conhecido online como MysteryGuitarMan, é um guitarrista, animador e cineasta brasileiro.

Atualmente reside em Los Angeles, Califórnia, nos Estados Unidos. Em maio de 2010 se tornou o usuário brasileiro com mais inscritos e está entre os 15 usuários com mais inscrições no YouTube, com mais de 1.000.000 inscrições! Seus vídeos foram assistidos mais de 85 milhões de vezes.

Como é que eu, um homem nascido em 1957, na época da tv de válvula, descubro essas coisas? Simples. Tenho dois filhos adolescentes e sou um pai presente.

Seja um pai presente, vale a pena, a gente aprende muito com os meninos. Vá por mim.

Eleitos recebem diploma

O governador Simão Jatene e seu vice Helenilson Pontes; os senadores Marinor Brito e Flexa Ribeiro; dezessete deputados federais e quarenta e um deputados estaduais; escolhidos democraticamente pelo povo paraense, recebem da Justiça Eleitoral, em cerimônia hoje a noite no Hangar Centro de Convenções, o diploma que lhes dá direito a tomar posse no cargo para qual foram eleitos.

Vocês serão os nossos legítimos representantes. Esqueçam esse negócio de partido de situação ou de partido de oposição, agora vocês são as chamadas autoridades constituídas de que fala São Paulo em sua Carta aos Romanos, 13-1,2: “Todos se submetem às autoridades que exercem o poder, pois não existe autoridade que não venha de Deus, e as autoridades que existem foram estabelecidas por Deus. Portanto, quem se opõe à autoridade resiste à ordenação de Deus;”.

Então meus representantes, - eu sou um representado, mesmo não tendo votado em vocês – devo ser tratado como um igual. Olhem para mim como um cidadão que paga seus impostos e está protegidíssimo pelos direitos coletivos e individuais escrito, sabem a onde? na nossa Carta Magna, a mesma que lhes constituiu como mandatário. Fiquem com raiva, com muita raiva, ao me olharem, podem até dizer: esse filho de uma p****, mas como meu representante não me discriminem, pois sou cidadão com direitos políticos positivos e negativos.

Não resistirei à ordenação de Deus, mas alerto para o seguinte: o Deus que os colocou ai é o mesmo que pode tirá-los, nunca esqueçam disso, jamais. Quem já era autoridade e esqueceu essa simples lição divina hoje não estará na cerimônia e não receberá diploma.

O Pará vai mal

Não, não é por causa da governadora Ana Júlia ou do Simão Jatene, nem tão pouco o Partido Verde tem culpa no cartório e não adianta postar aqueles comentários tipo: “É, mas o PV apoia os amarelos” ou “Ah, o PV agora é vermelho”, que eu vou moderar, vou avisando logo.

O Pará é simplesmente um Estado sub-representado no Congresso Nacional. Os cidadãos paraenses valem menos do que os cidadãos de outros estados da federação porque elegem menos representantes que a Constituição Federal determina.

No Maranhão os votos válidos somaram 2.914.707 e eles escolheram 18 deputados federais. Já o estado do Ceará obteve 3.977.109 de votos válidos, mas elegeu 22 deputados federais. O estado de Pernambuco tem uma bancada de 25 deputados federais e no entanto os votos válidos alcançados nas eleições somaram 4.165.897 de eleitores.

O Pará hoje tem 4.763.456 eleitores, e votos válidos foram 3.517.559. Mas, muito mais que o Maranhão do Sarneyzão, e eles elegem 1 deputado a mais que o Pará (Nossa bancada é de 17). Sem contar que alguns dos eleitos fazem gazeta no mandato inteiro - isso não tem endereço certo, acreditem, é apenas uma observação – ou exercem o mandato de forma medíocre.

Como corrigir essa tremenda injustiça? Não sei, mas vote em mim que eu te conto. Brincadeira. Basta exigir do TSE que aplique as regras prevista na Constituição Federal e baixe uma resolução nesse sentido.

Quem pode fazer isso? Aí você já quer demais. Com vinte seis mil e setecentos reais por mês, mais verba de gabinete dá para contratar um bom assessor parlamentar para que ele descubra os caminhos jurídicos.

Para que ter mais deputado federal do Pará em Brasília? Pô! Como essa pergunta difícil, que eu mesmo me fiz e não sei responder, encerro a nota, prometendo voltar em breve. E como dizia Elói Santos, o rei do rádio, já vou, be…em, tchau!

Belo Monte não cumpre condicionantes do licenciamento

O Ministério Público Federal fez vistoria e comprovou que até agora as obras antecipatórias em escolas, obras de saneamento, ampliação de abastecimento de água, para receber as pessoas que se deslocarão para Vitória de Xingu e Altamira por conta das obras da Hidrelétrica.

Da licença prévia constam 40 condicionantes, algumas, chamadas de obras antecipatórias, que devem ser cumpridas antes da liberação da licença de instalação. Segundo o Ministério Público Federal nada foi concluído.

Nas condicionantes da licença prévia também consta a criação e funcionamento de uma comissão de acompanhamento e fiscalização da licença, porém até agora não foi criada e nem instalada.

Como membro da Comissão Especial da OAB – Pará de acompanhamento da Hidrelétrica de Belo Monte sugeri ao presidente Jarbas Vasconcelos que estude a possibilidade da Ordem ingressar com ação, em favor da sociedade paraense, obrigando a União a cumprir as condições do licenciamento. O Presidente comprometeu-se a renuir e debate a proposta.

Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré

Gloria e abobada

As imagens são para você apreciar, matar saudades e rezar um pouco na intenção de Nossa Senhora de Nazaré. Aqui em Belém muita gente faz isso e se sente bem.

A foto superior é da abobada que está sobre o altar-mor da Basílica Santuário e a foto debaixo é do Glória e da imagem verdadeira, encontrada pelo caboclo Plácido.

A imagem de Nossa Senhora desce do gloria poucas vezes, incluindo a quinzena nazarena que começa no segundo domingo de outubro na qual é homenageada por milhões de pessoas.

Campeão de investigação

A CPI da Pedofilia do Senado encerrou seus trabalhos, apresentou relatório e concluiu que entre nove estados o Pará é campeão em violência sexual contra crianças.

Errou o relatório e prejudicou, mas uma veja, a imagem do Estado. O Pará deveria ganhar um prêmio, prêmio de o Estado que mais investigou este tipo de crime.

As investigações começaram a partir de uma ação de governo que criou um programa chamado Pro Paz e instalou uma delegacia especializada para esse tipo de crime na Santa Casa de Misericórdia, chefiada por profissionais comprometidas com o interesse da sociedade.

O volume de denuncias e de investigação cresceram e envolveram pessoas graúdos. Para prosseguir nas investigações foi necessário a criação de um comissão parlamentar e um destemido deputado, Arnaldo Jordy.

Arnaldo Jordy, com apoio da sociedade civil, meteu o dedo na ferida e revelou casos espantosos. A atuação do Parlamentar, o apoio da sociedade civil e da imprensa, sinalizaram positivamente para mães e parentes que passaram a denunciar.

O resultado foi positivo. Pedófilos denunciados e presos. Gente graúdo respondendo processo e ainda sendo derrotado pela opinião pública e o deputado Arnaldo Jordy obtendo uma estupenda aprovação das urnas.

Tenho orgulho do Pará que não bota sujeira para despacho do tapete.

Por 3x2 TRE decide: Flexa e Marinor são os senadores

image

image

O que disse Jader Barbalho depois do resultado:

image

image

image

Legalização fundiária de responsa

As pessoas que ganharam as eleições no Pará estão acometidas da mesma eforia das torcidas organizadas e tudo que cheira ao adversário derrotado deve ser aniquilado. Não podem ver algo ou alguém ligado ao governo petistas que caem matando a pau, guardada as devidas proporções, assemelha-se ao recente episódio de agressão protagonizado pelos torcedores do Galo.
Não são os jogadores, não, esses ganharam e estão comemorando, mas a torcida, ao contrário, está ai pelos blogs, pelos twitters e outras redes sociais sentando a pua. Eu mesmo ando até com um pouco de receio de posicionar-me e ser atacado desproporcionalmente, muito embora nunca tenha assumido cargos no governo de Ana Júlia, mas não sou covarde e sempre expressei aquilo que penso e vou dar mais uma opinião.
O Dr. Benatti e o dr. Trecani estão de parabéns pelo excelente trabalho de regularização fundiária e combate a grilagem de terra que fizeram nestes 04 anos de governo. Participei agora pela manhã de um evento do ITERPA, no Hangar onde foi entregue a prestação de contas de todo o trabalho realizado ao longo desses anos. No período compreendido entre 2007 a 2010 foram arrecadados pelo ITERPA 1.559.570,5102 (um milhão, quinhentos e ciquenta e nove mil, quinhentos e setenta hectares, e cinqüenta e um ares e dois centiares). O efeito de todo esse trabalho foi sentido na sensivel baixa que tivemos de conflitos fundiários no Pará. A maioria das ocupações de terras feitas, foram em propriedades tituladas pelo INCRA, onde o MST questionava a função social.
Tá na hora de deixar de lado o sentimento de torcida organizada e fazer justiça dando os merecidos parabéns a equipe do ITERPA liderada pelo grande jurista José Heder Benatti e pelo advogado que já foi padre no Acará, coordenador da CPT e ativista da luta por reforma agrária Girolamo Domenico Treccani.
Simão Jatene, que sabe avaliar bons resultados e tem cabeça aberta, bem que podia aproveitar a equipe, mas sei que isso é uma decisão muito díficil para ambos os lados e por isso entenderei outro encaminhamento, apenas faço um apelo: não deixe o sentimento do que veio do PT não presta destruir o que esses moços construiram, pois é um trabalho honesto, transparente e de grande valia para a paz no campo. O Wikleaks bem que podia falar deles.

Corte da OEA condena o Brasil no caso da Guerrilha do Araguaia

A Corte Interamericana de Direitos Humanos, da Organização dos Estados Americanos, condenou o governo brasileiro a investigar a execução e o desaparecimento de 62 prisioneiros da guerrilha do Araguaia.

O presidente da Corte Interamericana, Diego García-Sayán, estará em Belém em janeiro de 2011, provavelmente dia 28, segundo informou-me o presidente da OAB – Pará, Jarbas Vasconcelos.

A Corte Interamericana só condenou o Brasil porque até hoje, 30 anos depois da democratização, após cinco presidentes civis, nenhum governo foi capaz de dar uma resposta satisfatória a uma tragédia que marca a nossa história, envergonha os contemporâneos e coloca dúvidas relevantes para as futuras gerações.

Para conhecer o inteiro teor da sentença da Corte Interamericana basta clicar em Brasil Condenado.  

47,2% das pessoas não se sentem seguras na cidade em que moram

 

Em 2009, 78,6% das pessoas de 10 anos ou mais de idade se sentiam seguras no domicílio em que residiam 67,1% no bairro e 52,8% na cidade. Os homens declararam sentirem-se mais seguros do que as mulheres em todos os locais. A sensação de segurança no domicílio teve proporções maiores na população com maior rendimento médio mensal domiciliar per capita (82,8% para cinco ou mais salários mínimos contra 77,8% para menos de 1/4 de salário mínimo). Esta relação se inverteu para o sentimento de segurança no bairro (62,8% contra 71,3%) e na cidade (41,4% contra 60,9%). A Região Norte teve os menores percentuais de pessoas que declararam se sentirem seguras (domicílio 71,6%, bairro 59,8% e cidade 48,2%).

Cerca de 60% dos domicílios tinham algum dispositivo de segurança. Esse percentual foi bem maior para os apartamentos (90,3%) do que para as casas (55,9%) e o mesmo ocorreu na área urbana (64,9%) em relação a rural (28,5%). A grade na janela/porta foi o dispositivo mais usado (35,7% dos domicílios), com destaque para o Centro-Oeste (40,5%). A grade predominava nas casas (35,6%), enquanto os dispositivos na porta (olho mágico, corrente e/ou interfone) estavam em 73,9% dos apartamentos.

O crime de furto ou roubo atingiu 7,3% da população de 10 anos ou mais e 1,6% sofreu agressão física. As vítimas de tentativa de roubo ou furto passaram de 1,6% em 1988 para 5,4% em 2009. Das pessoas maiores de 18 anos, 9,4% estiveram envolvidas em situações de conflito, com maiores percentuais nas áreas trabalhista (23,3%), de família (22,0%) e criminal (12,6%).

Essas e outras informações estão disponíveis no suplemento “Características da Vitimização e do Acesso à Justiça no Brasil” da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2009, que abrangeu, na área de vitimização, o período de 27/09/2008 a 26/09/2009, referindo-se a pessoas com 10 anos ou mais de idade. Já a análise de acesso à Justiça, elaborada em convênio com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), investigou as características da situação de conflito considerada mais grave pelos envolvidos, entre pessoas de 18 anos ou mais, nos cinco anos anteriores à coleta dos dados.

VITIMIZAÇÃO: Norte tem menor percentual de pessoas que se sentem seguras

A PNAD 2009 avaliou a sensação de segurança com relação ao domicílio, ao bairro e à cidade onde residiam 162,8 milhões de pessoas de 10 anos ou mais de idade. Enquanto 78,6% dessa população (127,9 milhões de pessoas) se sentiam seguras no domicílio, no bairro o percentual foi de 67,1% (109,2 milhões) e, na cidade, caiu para 52,8% (85,9 milhões). A Região Norte teve os menores percentuais de pessoas que declararam se sentirem seguras (domicílio 71,6%, bairro 59,8% e cidade 48,2%), enquanto a Região Sul apresentou as maiores proporções (81,9% no domicílio,72,6% no bairro e 60,5% na cidade).

Os moradores da área rural declararam maior sensação de segurança em comparação com os da área urbana, na cidade de residência (rural 69,3%, urbana 49,7%), no bairro (rural 80,4%, urbana 64,7%) e no domicílio (rural 84,5%, urbana 77,5%). Os homens declararam sentirem-se mais seguros do que as mulheres no domicílio (80,2% contra 77,2%), no bairro (69,4% contra 65,0%) e na cidade (55,2% contra 50,5%). Em relação à cor ou raça, os percentuais foram maiores para pessoas brancas (domicílio 79,7%, bairro 68,0% e cidade 53,3%) que para pessoas pardas (77,7%, 66,6% e 52,9%, respectivamente) e pretas (76,7%, 64,9% e 48,9%, respectivamente). Quanto às faixas etárias, a sensação de segurança era mais alta entre as pessoas de 10 a 15 anos de idade (81,4% 70,4% e 57,9%, respectivamente). Quanto maior a idade, menor o percentual dos que declararam sentirem-se seguros no domicílio: 81,4% entre aqueles de 10 a 15 anos de idade e 76,9% para os de 70 anos ou mais.

A sensação de segurança no domicílio teve maior proporção na população com maior rendimento médio mensal domiciliar per capita (82,8% para os domicílios com cinco salários mínimos ou mais, contra 77,8% dos com rendimento inferior a 1/4 de salário mínimo). A relação se inverteu para o sentimento de segurança no bairro (62,8% contra 71,3%) e na cidade (41,4% contra 60,9%).

Três em cada cinco domicílios usavam algum dispositivo de segurança em 2009

Dos 58,6 milhões de domicílios particulares permanentes em 2009, cerca de 60% (34,8 milhões) usavam pelo menos um dos seguintes dispositivos de segurança: grade na janela/porta; olho mágico, abertura na porta, corrente no trinco da porta ou interfone; cerca eletrificada, muro ou grade com mais de 2 metros de altura ou com cacos de vidro ou arame farpado, e/ou alarme eletrônico; fechaduras extras e/ou barras na porta/janela contra arrombamento; cachorro; câmera de vídeo; segurança privada e/ou cancela, entre outros. O percentual foi de 63,9% no Sudeste, 64,9% no Centro-Oeste, 59,6% no Sul, 54,3% no Norte e 51,8% no Nordeste.

A grade na janela/porta foi o dispositivo mais usado (35,7% dos domicílios), com destaque para o Centro-Oeste (40,5%). Dispositivos na porta (olho mágico, abertura na porta, corrente no trinco ou interfone) estavam em 20,4% dos domicílios. Em 9,4% dos domicílios brasileiros havia cachorro para aumentar a segurança.

Os dispositivos de segurança estavam presentes em 64,9% dos domicílios em áreas urbanas, contra 28,5% na área rural. Para cada dispositivo investigado, o percentual foi sempre maior na área urbana, com exceção do cachorro, presente em 12,8% na área rural e 8,8% na área urbana.

Do universo de domicílios (58,6 milhões), 89,2% eram casas e 10,4% apartamentos. Das casas, 55,9% tinham algum dispositivo de segurança, contra 90,3% dos apartamentos. Nas casas, predominava a grade na janela ou porta (35,6%) e, nos apartamentos, os dispositivos na porta: olho mágico, corrente e/ou interfone (73,9%).

Na análise dos domicílios por rendimento médio mensal domiciliar per capita, havia dispositivos de segurança em 35,2% na faixa de menos de 1/4 de salário mínimo, contra 82,6% naqueles com dois ou mais salários mínimos. Os percentuais de existência de dispositivos de segurança cresciam com o aumento das faixas de renda, com exceção de cachorro.

11,9 milhões de pessoas de 10 anos ou mais foram vítimas de roubo ou furto entre 27 de setembro de 2008 e 26 de setembro de 2009

Das 162,8 milhões de pessoas com 10 anos ou mais de idade, 11,9 milhões (7,3%) foram vítimas de furto (subtração de bens sem ameaça ou violência) ou roubo (com ameaça e/ou violência) entre 27 de setembro de 2008 e 26 de setembro de 2009. As vítimas de tentativa de roubo ou furto somaram 8,7 milhões (5,4%). O total de vítimas de furto (6,4 milhões de pessoas, ou 3,9%) superou o de roubo (6,0 milhões, ou 3,7%). Cerca de 441 mil foram vítimas de ambos os crimes.

A Região Norte registrou os maiores percentuais de vítimas de tentativa de roubo ou furto (7,0%) e de roubo (5,6%) e a Região Centro-Oeste teve a maior proporção de furtos (5,5%). As Regiões Sudeste (6,7%) e Sul (6,8%) tiveram os menores percentuais de vítimas de roubo ou furto. Na Sudeste, as proporções de vítimas de roubo (3,4%) e furto (3,5%), ficaram próximas; já na Região Sul, a ocorrência de furto atingiu quase o dobro (4,6%) do roubo (2,5%).

O percentual de vítimas dos crimes em questão, que residiam na área urbana (8,1% para roubo ou furto), foi superior ao observado entre os que residiam na área rural (3,0%). Destaca-se ainda, que, dentre os homens, o percentual de vítimas (8,3%) era superior ao das mulheres (6,4%). No que se refere à cor, os percentuais foram similares para pessoas de cor branca (7,3%), preta (7,9%) e parda (7,2%). Entre as faixas etárias, o grupo que apresentou o maior percentual de vítimas foi de 16 a 24 anos de idade (8,9%). A partir daí o percentual decresceu, sendo de 5,2% para 70 anos ou mais de idade. Para as pessoas de 10 a 15 anos, o percentual de vítimas foi 3,3%.

A análise por classes de rendimento médio mensal domiciliar per capita mostra que o percentual de vítimas acompanha o rendimento. Cerca de 11,6% das pessoas na faixa de cinco salários mínimos ou mais foram vítimas de roubo ou furto, contra 4,7% do grupo com menos de 1/4 de salário mínimo.

As características dos crimes variavam com o local de ocorrência. As vias públicas concentraram 70,5% dos roubos e 26,8% dos furtos; já nas residências (próprias ou de terceiros) houve 12,2% de roubos e 47,6% de furtos. Os objetos alvos mais frequentes dos crimes foram o telefone celular (54,2% de roubo, 27,4% de furto) e o grupo que inclui dinheiro, cartão de débito/crédito, ou cheque (54,0% de roubo, 28,4% de furto).

Entre as vítimas de roubo, o percentual que procurou a polícia (48,4%, ou 2,9 milhões) foi superior ao das que foram furtadas (37,7%, ou 2,4 milhões). Os percentuais de registro de ocorrência policial em ambos os crimes foram próximos (90,2% para roubo e 89,9% furto), mostrando que a maioria que procura a polícia faz o registro da ocorrência. Dentre os motivos para 51,6% das vítimas não terem procurado a polícia, em função de roubo, destacam-se “não acreditar na polícia” (36,4%) e “não ter considerado importante” (23,1%). Em 2009, 62,3% das vítimas de furto não procuraram a polícia, e os principais motivos apontados foram “falta de provas” (26,7%) e “não considerar importante” (24,4%). Entre as vítimas de roubo que procuraram a polícia mas não fizeram o registro da ocorrência, 24,9% ou 71 mil pessoas, afirmaram não acreditar na polícia; para as vítimas de furto esse percentual foi de 13,6%, ou 33 mil pessoas.

2,5 milhões de pessoas de 10 anos ou mais de idade sofreram agressão física, ¼ delas no próprio domicílio

Em 2009, 1,6% do total de pessoas de 10 anos ou mais de idade (2,5 milhões) foram vítimas de agressão física, com a maior frequência na Região Norte (1,9%) e a menor, de 1,4%, nas Regiões Sudeste e Sul. O percentual entre os homens (1,8%) foi maior do que entre as mulheres (1,3%). A maior frequência relativa ocorreu na faixa etária de 16 a 24 anos de idade (2,2%) e a menor entre as pessoas de 70 anos ou mais (0,4%).

O percentual de pessoas agredidas crescia em direção oposta ao rendimento: 2,2% estavam na classe de menos de 1/4 do salário mínimo, pouco mais que o dobro do registrado na classe acima de cinco salários mínimos (1,0%).

Os agressores eram pessoas desconhecidas em 39,0% dos casos, conhecidas em 36,2%, cônjuge ou ex-cônjuge em 12,2%, parente em 8,1% e policial ou segurança privada em 4,5%. A via pública foi palco de 48,0% das agressões, contra 25,4% ocorridas na própria residência. Os agressores mais frequentes na via pública eram pessoas desconhecidas (69,5%) e policiais (65,5%); já os cônjuges ou ex-cônjuges agrediram mais na própria residência (80,5%).

Dentre as mulheres agredidas, 25,9% (cerca de 280 mil) tiveram como agressor o cônjuge ou ex-cônjuge contra 2,0% dos homens na mesma condição. Eles foram mais agredidos por desconhecidos (46,4%) que por conhecidos (39,3%), ocorreu o inverso para as mulheres (29,1% contra 32,2%).

Os motivos mais apontados pelo 1,4 milhão de vítimas para não procurarem a polícia foram: “não querer envolver a polícia ou ter medo de represália” (33,1%), “não achar importante” (18,2%), “não crer na polícia” (12,9%) e “falta de provas” (6,9%).

Das vítimas de agressão física que procuraram a polícia (1,1 milhão de pessoas), 86,9% realizaram registro, na delegacia, da última agressão física sofrida. Aquelas vítimas que procuraram a polícia, mas não efetuaram o registro (147 mil pessoas), apontaram como motivos para não fazê-lo, principalmente, o fato de a polícia não querer fazer o registro (22,4%), não queria envolver a polícia ou medo de represália (19,2%), a falta de provas (10,3%) e não acreditava na polícia (10,2%).

Tabela 4 - Distribuição das pessoas de 10 anos ou mais de idade que foram vítimas de agressão física, no período de referência de 365 dias, por agressor na última agressão física, segundo o sexo, a cor ou raça e os grupos de idade - Brasil - 2009

JUSTIÇA: Maiores percentuais de situações de conflito das pessoas com 18 anos ou mais de idade foram nas áreas trabalhista (23,3%) e de família (22,0%)

No universo de análise, que abordou a situação de conflito considerada mais grave pela pessoa entrevistada, as áreas com os maiores problemas foram: trabalhista (23,3%), de família (22,0%) e criminal (12,6%). Os conflitos trabalhistas tiveram o maior registro no Sudeste (24,8%); os de família, no Norte (29,9%); e os criminais, no Norte (15,8%) e Centro-Oeste (15,7%).

As pessoas de 18 a 24 anos de idade tiveram os maiores percentuais de situação de conflito na área de família (27,8%) e na criminal (23,3%). Na faixa de 50 anos ou mais de idade, os conflitos na área trabalhista tiveram o maior percentual (21,2%), seguido pelos que envolviam benefícios do INSS ou previdência (19,0%).

12,6 milhões de pessoas de 18 anos ou mais de idade estiveram em situação de conflito

Das pessoas de 18 anos ou mais de idade, 12,6 milhões (9,4%) estiveram envolvidas em situação de conflito nos cinco anos que antecederam a data da entrevista, sendo 51,1% homens e 48,9% mulheres. Das mulheres nessa faixa etária, 8,7% estiveram envolvidas em alguma situação de conflito; o percentual dos homens foi de 10,1%. A Região Sul apresentou os maiores percentuais, tanto para homens quanto para mulheres (12,7% e 10,3%, respectivamente). Os menores foram na Região Norte (6,8% e 6,2%, na mesma ordem).

Em relação às faixas etárias, o grupo de 40 a 49 anos de idade teve o maior percentual de pessoas envolvidas em situações de conflito (11,3%). O grupo de 18 a 24 anos de idade apresentou o menor percentual (5,0%). Esse quadro foi similar em todas as regiões.

Quanto maior o nível de escolaridade, maior também era o percentual dos que declararam terem vivido situação de conflito nos últimos cinco anos, subindo de 6,3% entre pessoas sem instrução para 14,4% entre os que tinham nível superior ou equivalente. A Região Centro-Oeste registrou a maior frequência de pessoas sem instrução envolvidas em situação de conflito (8,2%), e a Norte, a menor (4,3%).

Nas classes de rendimento médio mensal domiciliar per capita, o maior percentual de pessoas que tiveram situação de conflito estava na faixa acima de cinco salários mínimos (15,9%), contra 8,3% entre aqueles com rendimento inferior a 1/4 do salário mínimo. A situação se repete em todas as regiões, com a classe acima de cinco salários mínimos chegando a 18,4% na Nordeste.

Ação judicial formal foi a mais procurada para solução de conflitos

Na busca da solução dos conflitos mais graves, a maioria das pessoas de 18 anos ou mais que tiveram situação de conflito (12,6 milhões) recorreu à ação judicial formal (57,8%) e aos juizados especiais (12,4%), que se destacaram em todas as grandes regiões do país. Na Sul, a ação judicial formal atingiu 63,2%; já o juizado especial foi mais usado no Norte (15,8%).

Das 11,7 milhões de pessoas que buscaram solução para o conflito, 5,8 milhões (49,2%) tiveram a causa solucionada e, para 5,9 milhões (50,8%) ainda não houve solução. O Procon teve a maior participação na solução dos conflitos (69,4%). Já a ação judicial formal teve o maior percentual dos não solucionados (56,5%). Entre os conflitos solucionados, o intervalo de um ano entre o início e a solução do conflito predominou em todas as áreas de conflito.

A área de conflito relativa a serviços de água, luz e telefone teve o maior percentual de solução (59,3%), sendo que 84,9% desses casos foram solucionados em até um ano. Os conflitos de família registraram o segundo maior percentual de solução (57,0%), sendo 71,2% deles em até um ano. Os benefícios do INSS ou previdência tiveram o menor percentual de solução (32,6%), sendo 45,8% deles em até um ano.

Quanto à efetividade da solução do conflito, das 3,2 milhões de pessoas que buscaram a ação judicial formal e tiveram solução, 2,4 milhões (75,1%) tiveram seu conflito solucionado nessa instância. Entre os que buscaram o juizado especial e tiveram solução, o percentual foi de 75,9%; amigo ou parente, 84,3%; polícia, 66,8%; Procon, 88,5%; e sindicatos ou associação, 75,8%. Aqueles que não buscaram solução na justiça para o conflito que tiveram (29,8%, ou 3,8 milhões de pessoas) apontaram como principais motivos para não buscá-la: a solução por meio de mediação ou conciliação (27,6%) e a percepção de que demoraria muito (15,9%).

Vítimas de tentativas de roubo ou furto passaram de 1,6% em 1988 para 5,4% em 2009

Em 1988, o IBGE investigou pela primeira vez os temas Vitimização e acesso à Justiça. Em 21 anos, o percentual de pessoas de 10 anos ou mais de idade que informaram ter sofrido tentativa de roubo ou furto no país passou de 1,6% para 5,4%, com crescimento similar em todas as regiões. Para fazer comparações, foi necessário agregar o Norte e o Centro-Oeste devido à criação do estado do Tocantins, excluindo a área rural.

O agregado das Regiões Norte e Centro-Oeste urbanas apresentou percentuais dessa ocorrência superiores ao da média nacional (2,6% em 1988 e 7,6% em 2009). Também se destaca no período analisado o aumento da participação da população de cor preta (de 3,9% para 7,6%) ou parda (de 31,0% para 39,5%) e das mulheres (de 41,7% para 46,9%) entre as vítimas deste tipo de crime.

De 1988 para 2009 aumentou de 5,4% para 7,4% o percentual de pessoas de 10 anos ou mais de idade vítimas de roubo ou furto. Esse aumento foi verificado em todas as regiões, com destaque para o agregado das Regiões Norte e Centro-Oeste urbanas (de 6,6% para 10,3%) e para a Região Nordeste (4,3% para 7,5%). Também se observou o aumento da participação da população de cor preta (de 4,7% para 7,9%) e parda (de 30,7% para 42,4%) e das mulheres (de 39,3% para 45,4%) entre as vítimas deste tipo de crime.

Há 21 anos, 1,0% da população de 10 anos ou mais de idade declarou-se vítima de agressão física. Em 2009, foram 1,6%. Da mesma forma, também houve aumento da participação da população de cor preta (de 7,4% para 11,0%) ou parda (de 36,0% para 47,1%) e das mulheres (de 39,8% para 42,9%) entre as vítimas desse tipo de crime.

Proporção de pessoas em situação de conflito cai de 10,5% em 1988 para 9,4% em 2009

No ano de 1988, 10,5% da população de 18 anos ou mais de idade declarou ter tido alguma situação de conflito no período de referência de cinco anos. Em 2009, a proporção foi de 9,4%. Essa queda foi observada nas regiões, exceto na Região Nordeste, onde subiu de 7,5% para 8,2%.

O percentual de homens que tiveram situação de conflito foi superior ao de mulheres nos dois períodos analisados. Entretanto, foi verificada redução para os homens (de 12,6% para 10,1%) e elevação para as mulheres (de 8,5% para 8,8%). Constatou-se também que o percentual de pessoas de cor branca que tiveram alguma situação de conflito (11,5%) foi superior ao observado entre as de cor preta (9,7%) e parda (8,9%) em 1988. Em 2009, o percentual de pessoas que se declararam brancas em situação de conflito reduziu (de 11,5% para 9,6%), o de pretos aumentou (de 9,7% para 11,1%) e o de pardos não se alterou (8,9%).

IBGE - Comunicação Social
15 de dezembro de 2010

As fotos contra os fatos e outras fotos

Dizem que uma imagem fala mais que um texto. Nem sempre amigo, nem sempre.

Para provar que o Mangal das Garças estava abandonado, levado da breca publicaram aqui na Internet uma série de fotos provando a tese do abandono e acusaram o PV dessa ignomínia, mesmo sendo sabedores de que não é o PV que administra a OS Pará 2000.

Uma das fotos mostrava o portão de entrada com uma placa “em manutenção”, pois bem, como não gosto de injustiça e como sei que lá ninguém é filiado ao PV e nem a qualquer outro partido, o Mangal é administrado por um corpo técnico-profissional, fui até lá averiguar, fotografar e trazer para o julgamento de vocês.

Primeiro vamos ao caso do portão. O portão eletrônico nunca funcionou, está assim desde 2006. A atual administração resolveu botar para funcionar, mas para isso precisa trocar o aterramento, a parte elétrica e adquirir um programa de informatização numa versão mais avançada, por essa razão a portaria está em obra com a placa de manutenção. Vejam as fotos:

Portão do Mangal

Jardim em manutenção. O Parque Mangal das Garças tem muitos jardins e sempre é necessário fazer manutenção. Os que foram mostrados estão sofrendo intervenções como: retirada de invasores, adubação e replantio. Ao contrário de mostrar abandono, mostra sim a preocupação e o cuidado que a equipe tem com o Parque. O da primeira foto foi recentemente plantado e está em fase de crescimento.

Jardins

E o plástico no telhado do prédio que abriga o restaurante Manjar das Garças? Questionei o administrador do Parque Mangal das Garças e obtive como resposta que trata-se de um das responsabilidade do locatário e que o mesmo já foi cientificado para providenciar a manutenção de todos os itens de sua responsabilidade.

DSC07004

A administração aproveitou para mostrar outras obras que está fazendo para melhorar ainda mais o Parque de Aves. Com a ampliação da quarentena de pássaros.

DSC06999

Deixando a postura vira-lata de lado, faça como estudantes, visite o Mangal das Garças. O Parque recebe visita de cinco escolas por dia. E é um belo parque de aves. Elogie o Parque, pois é uma bela obra. A pretexto de atacar um adversário não jogue pedra no que temos de bom.

Deixo como sugestão que o novo governo que desmembre o Mangal e lhe dê autonomia administrativa através de uma fundação publica de pesquisa de aves amazônicas e migratórias. A receita pode vir da compensação ambiental da Sema ou através de convênio com o IBAMA,  que utiliza o parque como retaguarda para suas apreensões.

Belo Mangal

Advogados testam a sala virtual instalada na OAB

Dr. Jorge, diretor da Ordem, aprovou o novo sistema.
Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

Sala Virtual de Audiência na OAB

Inaugurada pela Governadora, a Sala foi testada pelos advogados presentes, como foi o caso dra. Ivanilda, que puderam conversar com um detento de Americano.
Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

Conheça e Defenda seus Direitos - Automóvel

 
O blog está prestando um serviço de orientação jurídica e orientação prática. Primeiro publicaremos aqui e depois vai para aba: conheça os seus direitos. Final de ano querendo trocar ou comprar um carro. Tenha cuidados e tudo vai ficar bem.

 

Quais são os cuidados na hora de comprar um carro zero?

O melhor é pagar o carro à vista ou dar um valor de entrada bem alto. Cuidado com as propagandas de juro zero (0%). No final das contas não existe financiamento sem taxa de juros.

E um carro usado?

Leve um mecânico de confiança para verificar funilaria e mecânica do veículo. E o mais importante: cheque a documentação do veículo. Anote o número Renavam que vem no documento do veículo. De posse desse número, é possível verificar pelo site do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) a situação geral do carro: débitos pendentes referentes ao licenciamento de trânsito do veículo, como IPVA, DVAT, etc., multas, alienações, e queixa de roubo, além de outras restrições. Verifique se o veículo sofreu alterações ou adaptações e, em caso positivo, confira se consta no documento.

É importante saber quem é o vendedor?

Você não precisa conhecê-lo pessoalmente, mas é importante verificar todos os seus dados. No próprio documento do veículo tem o número do Cadastro de Pessoa Física (CPF) ou do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) do proprietário. Caso a pessoa ou empresa tenha ação na Justiça, veja se esse automóvel não está na lista de bens a serem penhorados.

O que o vendedor deve fornecer?

  • Original do Certificado de Registro do Veículo (CRV), que é o documento de transferência, preenchido, datado e assinado, com firma reconhecida por autenticidade em cartório público.
  • Cópia ou original do Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV), o documento obrigatório para circular com o veículo.
  • Decalque legível do chassi.
  • Decalque legível do motor.
  • Comprovante de pagamento do IPVA.
  • Comprovante do seguro obrigatório.
  • Caso conste, comprovante de pagamento das multas.
  • Recolhimento das taxas.
  • Cópias do CPF, RG, ou CNH (modelo atual)
  • Quando for pessoa jurídica, além do CNPJ, cópia do contrato social, identificando a pessoa autorizada a assinar.
  • Cópia do comprovante de residência.
  • Possibilidade de vistoriar o carro.

O que deve ser feito logo após a compra de um carro usado?

Com os documentos fornecidos pelo vendedor em mãos, vá ao Detran, no prazo máximo de 30 (trinta) dias a fim de transferir o veículo para o seu nome. Geralmente, quando o carro é comprado em concessionárias, o documento já é entregue com a transferência efetivada. Isso traz segurança e comodidade para o vendedor e para o comprador. Neste caso, é valida a cobrança para a execução do serviço, desde que o valor cobrado não seja abusivo. Consulte antes no Detran o valor das taxas.

E após a compra de um carro zero?

Consulte o Detran a fim de verificar qual o procedimento e prazo para registrar e licenciar o seu veículo. O prazo para circular com o veículo sem registro varia de 15 (quinze) a 30 (trinta) dias, conforme o Estado e desde que comprador tenha em mãos a nota fiscal de compra. O ideal é que se faça o registro imediatamente para que se possa adquirir o seguro do veículo.

Quais são os impostos obrigatórios?

Impostos de Propriedade de veículo Automotor (IPVA). Esse imposto é pago anualmente e pode ser pago à vista ou em três vezes, com acréscimo de juros.

E taxas?

  • seguro obrigatório anual (DPVAT)
  • Licenciamento anual.

Ciclovias é uma via para ciclistas

Ciclovia desrespeitada

Na Júlio Cesar, descida do elevado Daniel Berg, quando o trânsito congestiona os motoristas não contam conversa e vão pela ciclovia. O flagrante foi feito ontem a noite (14), já havia passado dois ônibus que não deu para fotografar.

O trânsito em Belém sempre é um tormento no final do dia. Sair as dezoito horas do centro em direção a Cidade Nova está ficando cada vez mais difícil.

O cruzamento Pedro Alvares Cabral com a Júlio Cesar era o preferido pelos afro-religioso para depositar suas oferendas, agora depois das obras ainda tem o cruzamento, mas será que é possível fazer trabalho religioso por lá? Não reparei.

Dr. Caio é torcedor do Fluminense. Muricy, ganhamos mais uma!

Jatene começou anunciar o seu secretariado. Os três primeiros nomes confirmam o que eu havia pensado cá com os meus botões. Vamos lá. Dividam o governo em três partes. Dividiram? Como foi que vocês dividiram? Não, não é assim.

É assim: uma parte será do controle exclusivo do governador. A outra parte será do PSDB e do vice, leia-se PPS, o PSDB obviamente com um naco um pouquinho maior. O resto será para contentar aliados em prol da governabilidade. Acertei?

O Governador eleito mexeu bem as primeiras pedras. Zenaldo Coutinho para Casa Civil, bom parlamentar, excelente figura humana, além de ter trânsito com a base partidária. No lugar do novo Chefe da Casa Civil sobe André Dias para federal, aqui o governador contemplou dois grupos internos ao partido e ganhou muitos créditos.

A escolha de Nilson Pinto para Educação fez subir Dudimar Paxiúba, cujo objetivo é a prefeitura de Itaituba que já foi tucana e depois perdida para o PMDB. Nilson Pinto tem bons aliados na burocracia federal e sabe como ninguém captar recursos na área de educação. Jatene vai precisar muito disso.

A indicação do Dr. Hélio Franco, histórico militante do PPS, da área de saúde e grande profissional, mantém a tradição de entregar a saúde para o vice-governador, lembram da Valéria Pires Franco? Mas o vice ainda deve ter um pouquinho mais de espaço, pois essa não é bem sua área e nem do deputado João Salame, está mais próximo das bases do deputado Arnaldo Jordy.

As outras duas indicações são absolutamente pessoais e da escolha do próprio governador. Luis Fernando é muito competente, apaixonado pela segurança pública e de prontas respostas. Como é da Polícia Civil e agora vai coordenar toda a área, precisará ter um bom trânsito na Polícia Militar, vamos aguardar o anuncio do comandante geral para avaliar melhor.

O Procurador Geral do Estado é um cargo eminentemente técnico e todos os procuradores estão aptos a exercê-lo, de modo que creio que o dr. Caio Trindade com certeza está a altura da indicação. A indicação tem duto para dar certo, Dr. Caio torce pelo Fluminense.

O Partido Verde é a bola da vez

O Partido Verde volta a ser atacado no repórter 70, são notas plantadas, aquelas que chegam ai pela hora de fechamento da edição, encomenda pura.

A vontade de bater no PV é tanta que eles não estão nem ai para os prejuízos que causam a imagem e ao turismo do Pará. A Estação das Docas e o Mangal são pintados como se fossem ruínas que não vale a pena visitar. Cheio de dívidas, num caos total. Eles só não se entendem quanto ao valor da dívida, uns dizem que é quatro outros que é cinco e por ai vai.

Outro alvo dos ataques é a Cidade de Belém e suas belas mangueiras. As quedas acidentais das mangueiras são atribuídas ao PV. Não é verdade. Sempre no inverno, no período chuvoso, em média de 20 árvores tombam na Cidade. A queda é ocasionada por infiltrações nas raízes de difícil detecção.

Agora o que eu fiquei realmente chateado é que eles disseram que o PV foi vermelho e azul e voltou a avermelhar. Isto é mentira deslavada. O Partido Verde foi amarelo, por que eles escondem isso? Nunca o PV foi azul, nada contra o PMDB. Hoje o Partido Verde esverdeou e eles não aceitam isso.

Crack e outras drogas

Os municípios paraenses estão infestados pelas drogas. Um pesquisa detectou que mais de 90% dos municípios foram invadidos pela droga, mas não é qualquer droga, é o crack.

O que pode ser feito na luta contra o crack?

Tomei conhecimento que Dom Alberto Taveira, com uma visão avançada do problema, convocou um grupo de freiras de uma irmandade criada por ele, está recuperando o Tabor em Icoaraci para servir de centro de recuperação de drogados.

Abrir centros públicos para recuperação de drogados é uma medida muito importante, pois o viciado necessita de tratamento para desintoxicação e acompanhamento de profissionais das áreas humanas como forma de se livrar dos vícios.

Claro que isso não exclui o combate implacável aos traficantes, verdadeiros e perigosos criminosos. Mas conheça um pouco sobre essa droga que está em todas as áreas de Belém, conforme já relatei por diversas vezes aqui no Blog.

O que é o crack?

Crack é uma droga feita a partir da mistura de sal moniaco com bicarbonato de sódio geralmente fumada.[1] É uma forma impura de cocaína e não um sub-produto. O nome deriva do verbo "to crack", que, em inglês, significa quebrar, devido aos pequenos estalidos produzidos pelos cristais (as pedras) ao serem queimados, como se quebrassem. (Wikipédia)

Quais seus efeitos e danos?

Perseguindo esse prazer, o indivíduo tende a utilizar a droga com maior frequência. Com o passar do tempo, o organismo vai ficando tolerante à substância, fazendo com que seja necessário o uso de quantidades maiores da droga para se obter os mesmos efeitos. Apesar dos efeitos paranoicos, que podem durar de horas a poucos dias e pode causar problemas irreparáveis, e dos riscos a que está o sujeito; o viciado acredita que o prazer provocado pela droga compensa tudo isso. Em pouco tempo, ele virará seu escravo e fará de tudo para tê-la sempre em mãos. A relação destas pessoas com o crime, por tal motivo, é muito maior do que em relação às outras drogas; e o comportamento violento é um traço típico.

Neurônios vão sendo destruídos, e a memória, concentração e autocontrole são nitidamente prejudicados. Cerca de 30% dos usuários perdem a vida em um prazo de cinco anos - ou pela droga em si ou em consequência de seu uso (suicídio, envolvimento em brigas, “prestação de contas” com traficantes, comportamento de risco em busca da droga – como prostituição, etc.). Quanto a este último exemplo, tal comportamento aumenta os riscos de se contrair AIDS e outras DSTs e, como o sistema imunológico dos dependentes se encontra cada vez mais debilitado, as consequências são preocupantes.

Superar o vício não é fácil e requer, além de ajuda profissional, muita força de vontade por parte da pessoa, e apoio da família. Há pacientes que ficam internados por muitos meses, mas conseguem se livrar dessa situação.

Emenda de deputados, será que tem aqui?

O Congresso Nacional está sendo bombardeado pela revista Veja por causa de um festival de emendas que foram apresentadas, liberadas e pagas para fazer atividades que nunca aconteceram e para entidades que não podem aparecer na foto por serem fantasmas. Acho que aqui no Pará não acontece isso, pelo menos não se ouve falar.

Dudu no Mauro Bonna

Ontem foi a vez de Duciomar sentar na poltrona incomoda do Argumento e de Mauro Bonna. Bonna é um bom perguntador. Eu gosto do estilo do apresentador. Perguntou sobre Lixo. Portal da Amazônia. Queda de Mangueira. Saúde. Trânsito. E por ai foi à entrevista.

Duciomar apelou para que as pessoas deixem de jogar lixo nas esquinas ou nos canais. E prometeu para maio a inauguração das obras do Portal da Amazônia.

Conheça seus direitos

Baseado no livro: Conheça e defenda seus direitos, da editora Nova Cultural, criamos uma página sobre seus dirietos. O primeiro texto é sobre direito do consumidor. Acesse e leia, vai ajudar bastante.

Altar da Basílica

Altar da Basílica V

Fotografei o novo altar da Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré. É um trabalho impressionante do artista italiano que preparou as peças. Veja e se delicie com as artes.

Mulher sem marido não ganha eleição

Tentei escrever varias vezes o que acho que foram os erros que derrotaram a governadora Ana Júlia Carepa. Quando começo o texto, paro e me pergunto: saber os erros que ocasionaram a derrota eleitoral da Governadora vai ajudar em que? Sem respostas para essa pergunta, adio o escrito.

Ocorre que ando por ai e as pessoas comum do povo, o eleitor pagador de imposto, nada pergunta e nada comenta sobre isso, para elas a eleição já está no passado, o governo da Ana Júlia já está no pratrasmente, agora o que interessa é o novo governador e suas obras para melhorar a vida do paraense.

Mas nas rodadas de políticos, esse ser esquisito que habita as reuniões, vez por outra, alguém dá um palpite, faz um achismo sobre os motivos da derrota de Ana Júlia. De modo que já ouvi de tudo, não que eu viva toda hora no habitat dos políticos, porém pela força do cargo de presidente do PV, passo por lá de vez em quando.

Agora, te juro, é a primeira vez que ouço alguém dizer que Ana Júlia perdeu por causa de ser uma mulher sem marido. É! foi o que disse o deputado do PT, Valdir Ganzer.

Sem acreditar quando me disseram, procurei a entrevista que o Deputado concedeu a O Liberal e estava lá, com todas as letras, “ela era mulher” e “ela não tinha marido e que mulher que não tinha marido não serve para governar”.

Então, mulheres, se algum dia quiserem ter chances e governar o Pará, tratem de arranjar logo um marido, pelo menos as chances podem aumentar.

Deputado Valdir Ganzer, por mais que eu não queira, tenho que concordar com o deputado Parsifal, que plagiando Cazuza, fez uma boa ironia no seu blog: suas idéias não correspondem aos fatos.

Capela de Noss Senhora de Guadalupe

Esta é a futura Capela de N. S. de Guadalupe. Quer ajudar? Doe cimento: 3257-3242 com D. Jesus.
Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

Benção das rosas

Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

Festa de N. S. de Guadalupe

Estou na Festa de Nossa Senhora de Guadalupe na área das Malvinas, na Sacramenta. Acaba de chegar a procissão e vai iniciar a celebração da Santa Missa. O celebrante é D. Vicente Zico.
Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

Olha o Rancho ai, gente.

Enviado do meu BlackBerry® da Oi.

Fretaram o Jornal

A comunicação do novo governador eleito está de parabéns. Como trabalham esses meninos. Contei hoje, só no repórter 70 eles emplacaram quatro notas contra o atual governo na parte de cima e ainda umas três na parte debaixo.

Além de atacar pesado o atual governo, ainda conseguiram emplacar muitas notas e matérias a favor do novo governador. A falta de anuncio do novo secretariado virou uma possível restruturação administrativa. Teve a visita aos procuradores federais. O bloqueio do empréstimo do BNDES. Chapa para eleição no SEBRAE. Estão raspando o tacho, não sobrou pra ninguém.

Se não fosse o teatro armado pelo Irã no caso da libertação de Sakineh e a guerra virtual dos hackers em defesa do WikiLeaks, diria que o jornal de sábado estava fretado para eles.

É verdade que o atual Governo produz sozinho notas e matérias negativas, como foi esse caso ai da Sema, mas nada se iguala o que a turma de comunicação do próximo governo consegue produzir. Estão de parabéns os meninos.

Obra rápida e ligeira

Esses colunistas não tem jeito, ficam falando mal de todo mundo e quando é para elogiar, não aparece um sequer.

Todo dia dão umas cutucadas na Prefeitura. Obra da Marques não sai. Obra do elevado tá parada. Mas quando a Prefeitura acerta e faz rápido um obra ninguém fala nada.

Nem bem foi publicada a lei que mudou o nome da 25 para Rômulo Maiorana e a Prefeitura já trocou todas as placas com a nova denominação. Cadê os elogios?

Papo com o Procurador Federal, só nos autos.

O que é que faz um governador eleito visitando o Ministério Público Federal antes da posse?

– Preparando o terreno, disse um.

– Que terreno? tu és besta?

– O homem tá certo, tem é que falar com os homens e tirar a má impressão.

- má impressão! Que má impressão é essa?

- Sim, que ficou do outro mandato. Tu não te lembras que o tal Cazetta vivia cutucando ele com umas ações disso e daquilo?

- mas esses procuradores são meninos bons, não perseguem ninguém, apenas defendem nós a sociedade. Não mexeu com o que é do povo, fez tudo dentro da lei, não tem o que temer.

- Mas papo com procurador, se não for amigo, só nos autos.

- É, mas um conversinha daqui e outra dali não faz mal a ninguém. Cada um fazendo seu papel é o que basta.

Por uma infância sem racismo

A UNICEF lançou hoje (e o Blog também adere) a campanha Infância sem racismo. Não vou falar nada, basta você assistir o vídeo narrado pelo embaixador Lazaro Ramos e acessar o sitio da campanha, lá você saberá como participar.

Eu estou nessa campanha e como diz a Nilma Bentes do Cedempa, para lutar contra o racismo no Brasil, considero-me um traidor da minha raça.

Prisões na Sema

O Blog do Partido Verde publicou uma nota lamentando o episódio que levou a prisão de funcionários da Secretaria de Meio Ambiente do Estado:

O Partido Verde vê com muita tristeza as prisões ocorridas na Secretaria Estadual de Meio Ambiente, ainda mais que as acusações dizem respeito a planos de manejos adulterados a peso de propina. Isso significa uma completa distorção do esforço que se faz para diminuir o desmatamento na Amazônia. Até o presente, parece ser uma ação de funcionários. Vamos acompanhar as investigações e voltaremos a comentar.

Nilma do Cedempa é homenageada pela OAB

Bela cerimônia para entrega da medalha José Carlos Castro de Direitos Humanos a Nilma do Cedempa

Semma treina seus funcionários

Acabo de participar do encerramento de mais um curso de aperfeiçoamento dos funcionários da Semma. Agora foi a formação das pessoas que trabalham com poda das árvores da Cidade.
Enviado do meu BlackBerry® da Oi.
 

Posts Comments

©2006-2010 ·TNB