Governador, não tire o lazer dos meninos da Terra Firme.

Terra Firme é um bairro pobre de gente honesta. As pessoas vivem com muita dificuldade por ali. Tudo é muito apertadinho e não tem espaço para viver. As ruas são estreitinhas, estretinhas. As casas, na maioria são bem humildes. Não tem arborização. E pouco espaço para juventude crescer saudável. O povo de lá pede muito pouco, pouquinho mesmo. O que eles querem é possível conseguir. As autoridades pensam em polícia, mas os jovens querem lazer, esporte, áreas livres. Querem viver, crescer e se desenvolver saudável. Na Terra Firme, com toda a dificuldade de espaço, tem um campo de pelada para garotada se divertir e sonhar em ser um craque de futebol. Só que essa área está ameaçada pelas obras de alargamento da Avenida Perimetral. É uma obra importante sim, mas o campo de pelada também. O povo de lá não me pediu, mas eu sou assim mesmo, comovo-me com esse tipo de assunto. Dai gravei uma apelo ao Governador Simão Jatene. Governador, não tire o lazer dos meninos da Terra Firme.

video

Zenaldo Coutinho esqueceu os esses e fez um governo singular

Zenaldo Coutinho terá muito dificuldade para se reeleger. Não tem obras para apresentar a cidade, tratou mal todos os aliados, governou com uma panelinha e usa a prefeitura como se fosse o Instituto Helena Coutinho, achando que pode ser eleito com cursos de corte e costura.


Zenaldo prometeu três "s", saúde, segurança e saneamento. Esqueceu dos esses e governou no singular.

As obras que recebeu incompletas continuam no mesmo estado.

O Portal da Amazônia que estava previsto chegar até a Universidade Federal, não andou um passo, um metro, uma polegada e tornou-se um local bastante inseguro.

O BRT da Almirante Barroso não foi concluido, mas a prefeitura inicia um trecho eleitoral que ligará o nada a lugar nenhum.

A macrodrenagem da Estrada Nova arrasta-se e as únicas obras feitas até aqui servirão para beneficiar empreendimentos privados como é o caso do novo supermercado Líder da Quintino.

Sacrificou muitas árvores da cidade, só na Augusto Montenegro foram quase 250 indivíduos mortos, e nada plantou, deixando de cumprir com os compromissos assinados com o programa cidade sustentáveis. Muitas mangueiras caíram e não foram substituídas. Belém continua a ser uma das piores em arborização.

Nem uma estação de tratamento de esgotos e nem uma nova tubalação para aumentar a rede de captação foi feita. Belém é um cidade com o triste índice de pior capital em tratamento de esgoto.

A guarda municipal, mesmo com todos os equipamentos, não foi capaz de cuidar das praças, a maioria está com equipamentos danificada.

O patrimonio histórico da cidade está se deteriorando a olhos vistos, o maior exemplo dissos é o Casarão Tavares Cardoso em Icoaraci, o cemitério da Soledade, os prédios que incendiados no comércios. O belo centro não vi um só projeto de restauração.

Quatro anos se passaram e nada daquilo que foi prometido na campanha apareceu enquanto cumprimento de promessas. Nem dá para ter esperanças que alguma novidade acontecerá nos próximos meses que faltam para o aniversário da cidade.

O bolo de 400 metros e um festival de quem corta mandioca mais rápido estarão garantidos, como sempre estiveram, independente de prefeitos e de campanhas eleitorais. A missa na Catedral também, a Igreja garante. Fora isso, não acredito em milagres, nada vai mudar.

O Pará é um estado sem lei e sem justiça

Os grandes daqui não são investigados e nem punidos. Fica-se sempre com a sensação de impunidade quando se faz um exame nos diversos casos acontecidos, denunciados e sem qualquer investigação ou explicação para opinião pública.

O jornal Diário do Pará, todos os domingos acusa frontalmente o Governador do Estado de diversos crimes, tanto ele quanto seus parentes e auxiliares. Acusa a filha, o filho, o primo, os secretários e por ai vai.

Desmente o Governador em casos importantes, como o edividamento do estado, Jatene diz que estamos com uma taxa de endivadamento baixa e o Diário publica uma reportágem mostrando que o Pará está mais endividado que17 estados da federação.

São fatos graves assacados contra a maior autoridade do estado e fica por isso mesmo. Nem Jatene processa o Diário do Pará provando em juízo que é inocente e que tudo que foi dito é mentira, nem o Misnitério Público ou a Assembléia Legisltativa investigam as denúncias graves.

Ficamos, nós, os eleitores, achando que tudo não passa de briga política entre pessoas que não se respeitam. Ma muito do que dizem, um do outro, acabam se refletindo de forma concreta quando não se tem os serviços públicos de boa qualidade.

Creio que é chegada a hora de tudo isso cessar e a lei voltar a reinar por aqui. Voltar a reinar pela primeira vez neste estado tão bom e pujante, com um povo maravilhoso e acolhedor. O Pará nâo merece isso, por favor, senhor juiz, pare agora.

Vou lembrar aqui de um caso denominado "Projeto Alvorada". Muito dinheiro foi aplicado para levar água e saneamento para os municípios paraenses. O dinheiro sumiu, as denúncias foram feitas e manchetes dos dois jornais, mas nada foi apurado. Quem ficou no prejuízo foi a população sem água e o empréstimo continua sendo pago religiosamente com os nossos impostos.

Vamos lembrar outro. Os equipamentos para manutenção dos canais da macrodrenagem da bacia do una. Sumiram, foram privatizados, vendidos, viraram sucatas. Os canais estão enchendo, alagando a casa das pessoas e os culpados charlando com a insigne de homens honestos.

Tem mais, sei que vocês lembram. E a sensação de impunidade fica.
 

Posts Comments

©2006-2010 ·TNB